PASTEL DE FEIJÃO DE TORRES VEDRAS - MCA

Tipo

Produtos de padaria, de pastelaria, de confeitaria ou da indústria de bolachas e biscoitos

Região

Lisboa e Vale do Tejo

Descrição

O pastel de feijão de Torres Vedras é um bolo de pastelaria, doce, de pequeno formato e cozido (assado) no forno. O recheio, localmente conhecido como “espécie”, é composto por feijão branco, miolo de amêndoa pelada, gemas de ovo, açúcar branco e água. A fina massa envolvente ( conhecida localmente como a "forra" ou "capa" ou ainda "lençol") tem como constituintes farinha de trigo, água, manteiga ou gordura vegetal e sal. À prova, sente-se a capa, quebradiça e estaladiça, mas não folhada, envolvendo delicadamente o recheio, sem o abafar. O sabor da amêndoa é persistente, sendo o último a desaparecer do paladar após a ingestão

Declaração nutricional

por 100 g ou por 100 ml do produto
Energia (Kcal) 290
Lípidos (g) 10,8
Dos quais saturados (g)
Hidratos de carbono (g) 40,3
Dos quais açúcares (g)
Fibra (g) 16
Proteínas (g) 6,6
Sal (g)

Variantes

Alguns transformadores, apenas por encomenda para eventos especiais, fabricam as chamadas “miniaturas”. Estas miniaturas são absolutamente idênticas ao Pastel de feijão de Torres Vedras em matéria de ingredientes e modo de produção. As únicas diferenças são as dimensões, que sofrem uma redução entre um quarto e metade das usuais para o Pastel de feijão de Torres Vedras e o facto de não se apresentarem acondicionados no característico papel com menções alusivas.

Particularidades

Tem forma tronco-cónica, de menor diâmetro na base; o tronco vai alargando até ao topo e remata numa superfície circular, levemente abaulada, de maior diâmetro e com bordos bem definidos. A capa tem cor amarelo-palha e brilho mate, é fina, lisa, bem formada e uniforme, de aspecto quebradiço, deixando perceber o recheio através da massa. O recheio tem cor amarela a amarelo-alaranjado, ao corte; à superfície apresenta uma tonalidade castanho dourada, baça. Verificam-se, por vezes, pequenas variações na tonalidade em resultado da temperatura do forno e duração do tempo de cozedura. A textura é rugosa à superfície, denotando a migração do açúcar e respectiva cristalização; grumosa e húmida no interior, notando-se a amêndoa triturada e mesmo o feijão, de consistência esponjosa. Aroma e sabor nítidos a amêndoa, por vezes a gema de ovo, sentindo-se também, em fundo, o feijão.

História

A origem conventual do Pastel de Feijão de Torres Vedras é denunciada pelo farto uso de açúcar, gema de ovos e amêndoa na sua composição. No entanto não foram encontradas provas sólidas de tal origem. As primeiras referências escritas remontam ao último quartel do século XIX. Em 1896 foi um dos trinta e oito "doces característicos de localidades" seleccionados para figurar na "Exposição Ethnografica Portugueza”. A reputação de que goza o pastel de feijão de Torres Vedras está alicerçada numa forte componente de histórias familiares e afectivas ligadas desde há muito a Torres Vedras. De salientar que a produção deste doce nunca se evadiu de Torres Vedras.

Saber fazer

Um particular "saber fazer local", consequência de um longo percurso de observância de velhas práticas, ainda que com muito ligeiras diferenças de acordo com o “ramo histórico” de cada produtor é, porventura, a "chave" (tão característica da doçaria tradicional) que distingue o método de fabrico do Pastel de feijão de Torres Vedras e que lhe granjeou enorme reputação. Este saber fazer expresa-se, por exemplo, na forra fina e translucida e no recheio esponjoso mas não apudinado, onde são perceptiveis a amendoa, os ovos e se adivinha o feijáo. É liminarmente interdita a incorporação de quaisquer aditivos ou auxiliares tecnológicos, independentemente da causa ou do efeito pretendido bem como de licores ou outras bebidas espirituosas com amêndoa ou com essências de amêndoa

Área geográfica de produção



Concelhos

TORRES VEDRAS

Forma de utilização / Conselhos de uso

É consumido a qualquer hora do dia, sendo particularmente apreciado como sobremesa ou lanche; Pode ser consumido só ou acompanhando chá ou café ou, mesmo, uma taça de vinho branco da região

Ingredientes

Açúcar

Amêndoa

Sal

Manteiga ou gordura vegetal

gemas de ovos, frescas e ou pasteurizadas

Feijão branco

Água

Forma

Tronco-cónica

Altura

de 2,50 a 3,40 cm

Diâmetro

de 6,00 a 7,00 cm

Peso

de 60,00g a 75,00g

Cor Exterior

AMARELO-PALHA

Textura Exterior

LISA

Cor Interior

AMARELO-ALARANJADO

Consistência

HÚMIDA

Suculência Interior

SUCULENTO

Textura Interior

RUGOSA

Aroma Interior

FRUTADO

Sabor Interior

DOCE

Apresentação Comercial

O pastel de feijão de Torres Vedras apresenta-se acondicionado individualmente num invólucro de papel apropriado, ostentando menções diversas alusivas ao produto ou ao produtor. Esta é a forma tradicional de apresentação no estabelecimento do produtor. No comércio em geral o pastel de feijão de Torres Vedras apresenta-se acondicionado como referido e pré-embalado em caixas de cartão ou outro material apropriado, em formatos e dimensões diversas onde, para alem das menções regulamentares, figuram sempre as menções alusivas ao Pastel de feijão de Torres Vedras As miniaturas de pastel de feijão de Torres Vedras não são normalmente acondicionadas individualmente, já que só são produzidas por encomenda, para eventos específicos.

Condições de conservação / Durabilidade

Conservado à temperatura ambiente, em lugar fresco, dura entre 10 a 12 dias; O pastel de feijão ultracongelado, desde que mantido/transportado a uma temperatura entre -20ºC e -16ºC, deve ser consumido num prazo não superior a 6 meses após o fabrico.

Disponibilidade ao longo do ano

Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Bibliografia/Fonte

Caderno de Especificações de Pastel de feijão de Torres Vedras - 2018

Produto

FOLAR DE VALPAÇOS - IGP

O Folar de Valpaços é um produto de panificação recheado com carne de porco gorda e/ou entremeada salgada e seca (não fumada), barriga de porco salgada e seca (não fumada), enchidos de porco fumados (salpicão e linguiça), presunto de porco curado pelo fumo ou de cura natural e/ou pá de porco fumada. Ao corte são perceptíveis pedaços dispersos e irregulares das carnes que compõem o recheio e que visualmente compõem um mosaico colorido em que se distinguem as diferentes cores das mesmas. É cozido em formas individuais.

Produto

PASTEL DE CHAVES - IGP

O «Pastel de Chaves» é um produto de pastelaria constituído por massa finamente folhada, recheada com um preparado à base de carne de vitela picada. Apresenta textura exterior firme e estaladiça contrastando fortemente com a textura do recheio que é espesso, macio, húmido, suculento e fundente. Ao corte vertical, a massa apresenta um conjunto de lâminas muito finas, o que confere ao pastel um aspeto finamente folhado. A porção superior da massa apresenta uma cor amarelo-dourado que contrasta com a porção inferior levemente humedecida e escurecida pelo picado de carne. Numa posição central surge o recheio que apresenta um aspeto heterogéneo, resultante dos diversos ingredientes que o compõem, sendo reconhecíveis pedaços de carne e de cebola.

© Copyright 2017 ptpt.pt
Developed by Impactwave