CARNE BARROSÃ

Tipo

Carne de bovino

Região

Trás-os-Montes e Alto Douro

Descrição

Carne particularmente suculenta, tenra e fina, proveniente da desmancha de carcaças de bovinos da raça Barrosã, inscritos no Registo Zootécnico ou no Livro Genealógico da Raça Barrosã. Dependendo da idade e peso ao abate a carne distingue-se em: "Carne de Vitela" - carcaça de animais abatidos entre os 5 e os 9 meses, com peso compreendido entre 70 e 130 kg – carne rosada a vermelha clara e gordura branca a branco-sujo; "Carne de Novilho" - carcaça de animais cujas idades variam entre 9 e 36 meses, com peso mínimo de 130 kg – carne de cor vermelha clara e gordura branca a cremosa; “Carne de Vaca” - carcaça de animais abatidos entre os três e quatro anos de idade e com peso mínimo de 130 kg – carne de cor vermelha escura e gordura branco-suja.

História

Referindo-se às afamadas qualidades organolépticas da carne destes bovinos, Manuel Garcia citava dados populacionais e afirmava que "a tenrura e finura da carne fazia aguar os súbditos de sua majestade britânica de modo que só de Janeiro a Julho de 1882 Portugal exportou para Inglaterra 16 708 cabeças, a maior parte de raça Barrosã".

Área geográfica de produção



Concelhos

AMARESARCOS DE VALDEVEZBOTICASBRAGACABECEIRAS DE BASTOCELORICO DE BASTOFAFEFELGUEIRASGUIMARÃESMELGAÇOMONTALEGREMONÇÃOPAREDES DE COURAPAÇOS DE FERREIRAPONTE DA BARCAPONTE DE LIMAPOVOA DE LANHOSOTERRAS DE BOUROVALENÇAVIEIRA DO MINHOVILA VERDE

Forma de utilização / Conselhos de uso

Devido à suculência, tenrura e ao seu sabor natural consome-se, em especial, grelhada e em “roast beef”

Calibre

de 1,00 a 1,00 kg

Apresentação Comercial

Pode apresentar-se em carcaças, meias carcaças, desmanchada e embalada em vácuo, fatiada e cuvetizada, em hambúrgueres, almôndegas ou carne picada.

Condições de conservação / Durabilidade

Apresentação no vácuo: 30 dias entre 0°C e 7°C; Covetizada em atmosfera controlada: 8 dias; picados covetizados: 8 dias entre 0°C e 2°C; Congelados: 18 meses a -18°C

Disponibilidade ao longo do ano

Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Bibliografia/Fonte

Texto extraídos de, “Produtos Tradicionais Portugueses”, Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural, Direcção-Geral de Desenvolvimento Rural, Lisboa 2001, Coordenadora Geral – Ana Soeiro

CARNE DOS AÇORES - IGP

A carne dos Açores - proveniente de animais da espécie bovina nascidos, criados e abatidos na RAA, segundo os moldes tradicionais - apresenta-se tenra, com cor variável sendo rosada na carne de vitelo (a), vermelha a vermelha escura no novilho (a) e vermelha escura, na carne de vaca, com ligeira infiltração de gordura a nível intramuscular. Dependendo do sexo e idade ao abate, a carne dos Açores distingue-se em 3 tipos: Vitelo (a) - Carne obtida de vitelos (as) cujas carcaças pesem até 180 kgs e cujo abate ocorra entre os 5 e os 9 meses; Novilho (a) – Carne obtida de novilhos cujas carcaças pesem mais de 180 kgs e cujo abate ocorra até aos 24 meses de idade, ou de novilhas cujas carcaças pesem mais de 175 kgs e cujo abate ocorra até aos 30 meses de idade ou até a primeira parição; Vaca - carne obtida a partir de bovinos cujas carcaças pesem mais de 200 kgs e cujo abate ocorra a partir da parição.

© Copyright 2017 ptpt.pt
Developed by Impactwave