CEREJA DE ALFÂNDEGA DA FÉ

Tipo

Frutos frescos

Região

Trás-os-Montes e Alto Douro

Descrição

"Cereja de Alfândega da Fé" é o fruto proveniente de diversas variedades de cerejeira (Prunus avium L) tradicionalmente cultivadas no concelho de Alfândega da Fé e áreas limítrofes. Apresenta polpa dura, crocante, açucarada, muito sucosa e de perfume ligeiramente acentuado, sendo resistente ao rachamento.

Particularidades

Cerejas reconhecidas pela cor da epiderme, que é vermelha viva no momento adequado da maturação, pela dureza e crocância da sua polpa, e pelo facto de, sendo naturalmente açucaradas, apresentarem ao mesmo tempo um toque subtil de acidez.

História

A produção de cereja em Alfândega da Fé sendo relativamente recente, já se pode considerar tradicional. Foi na década de 60 do século XX, graças ao projecto visionário do Engenheiro Camilo de Mendonça, que a cereja começou a assumir importância na economia concelhia e regional. Este engenheiro, natural de Vilarelhos, uma freguesia do concelho de Alfândega da Fé, idealizou um projecto hidroagrícola para dinamizar a agricultura Transmontana. Tal implicou também a criação da Cooperativa Agrícola de Alfândega da Fé, entidade, ainda hoje responsável pela maior mancha de pomares de cereja existente na região, com cerca de 60 ha. Alfândega da Fé e áreas limítrofes possuem localização e clima excelente para a cerejeira que encontra aqui um habitat privilegiado face ao elevado número de horas de frio, às primaveras amenas e à grande protecção dos ventos atlânticos, bem como aos solos de encosta, profundos e bem drenados.

Saber fazer

A época de plantação decorre de Outubro a Março, sendo a enxertia o processo de multiplicação mais vulgar. As árvores são conduzidas em forma de vaso, com intervenções de “limpeza” e “rebaixamento” da copa (por vezes excessiva), durante o Inverno, para eliminação de pernadas secas e doentes e evitar o crescimento excessivo das árvores em altura. A colheita dos frutos efectua-se geralmente entre meados de Maio e princípios de Julho e é feita normalmente à mão, devendo os frutos ser colhidos com o pedúnculo inteiro. No pomar é efectuada uma primeira selecção, sendo rejeitadas de imediato as cerejas que apresentem defeitos visíveis: fendilhamento, picadas de insectos, etc. Durante o transporte e armazenamento ocorre a ‘respiração’ dos frutos, pelo que é muito importante que estes estejam a baixas temperaturas para que a velocidade de respiração e a consequente emissão de calor sejam mínimas.

Área geográfica de produção



Concelhos

ALFANDEGA DA FE

Freguesias

CHACIMGRIJOLOMBOPEREDOVALE BENFEITOBORNES E BURGACARAVELASFREIXEDA E VILA VERDECASTRO VICENTEHORTA DA VILARIÇAADEGANHA E CARDANHABENLHEVAISAMPAIOSANTA COMBA DE VILARIÇATRINDADEASSARES E LODÕES

Forma de utilização / Conselhos de uso

A qualquer hora do dia ou como sobremesa de eleição, no fim da Primavera, princípio do Verão. Também é usada para acompanhar pratos de carne. Pode ainda ser utilizada como matéria-prima para doces, sobremesas, licores, etc.

Calibre

de 1,00 a 1,00 kg

Apresentação Comercial

Quando destinada ao consumo em fresco, o acondicionamento é feito em caixas de cartão com 2 kg ou 5kg de capacidade sendo, no entanto, possível utilizar outros materiais de acondicionamento, desde que apropriados, bem como outras gamas de quantidade. NOTA: Em cada caixa ou recipiente as cerejas são da mesma variedade e qualidade

Condições de conservação / Durabilidade

Se as cerejas vão ser vendidas em fresco, no dia seguinte à colheita, podem ser armazenadas em câmaras entre 8º e 12ºC. Se entre a colheita e a venda decorrem mais de 8 dias, devem ser armazenadas em câmaras frigoríficas a 0ºC.

Disponibilidade ao longo do ano

Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Bibliografia/Fonte

Cooperativa Agrícola de Alfãndega da Fé Câmara Municipal de Alfãndega da Fé Produtos Tradicionais - Guia 2017, Qualifica/oriGIn Portugal. Ed. Enigma Previsível, Lisboa 2017 Caderno de Especificações (em preparação)

ANONA DA MADEIRA - DOP

"Anona da Madeira" são os frutos das diversas variedades da família das Annonaceae, género Annona, espécie Annona cherimola Mill. (correspondente à A. tripetala de Aiton). Caracterizam-se por terem forma cordiforme, sendo a superfície, em correspondência com cada carpelo, mais irregular na base do fruto do que no ápice. A epiderme é mais ou menos lisa ou apresenta pequenas protuberâncias de forma cónica. Casca fina e delicada.Consoante a variedade, a coloração varia entre o verde claro, o verde amarelado e o verde bronzeado. O índice de sementes oscila entre seis a nove por cada 100 g de polpa. O teor em açúcar varia entre os 17,5 e os 21 °Brix. O peso das anonas oscila entre os 100 g e 2 kg, sendo o peso médio de 450 g.

MAÇÃ DE PORTALEGRE - IGP

Fruto proveniente da macieira (Malus Spp.), variedade bravo. As características edafo-climáticas da região proporcionaram o desenvolvimento de uma maçã Bravo com características diferentes (coloração e dimensões) das obtidas na Beira. É uma maçã média, redonda, achatada, de cor amarela esverdeada, com manchas rosáceas e pedúnculo curto, com cheiro pronunciado, e com sabor acentuado e muito doce. Resulta provavelmente de um cruzamento de maçã Camoesa e de uma Melapio ou afim. O seu calibre varia entre 60 e 70 mm.

© Copyright 2017 ptpt.pt
Developed by Impactwave