CARNE DOS AÇORES - IGP

Tipo

Carne de bovino

Região

Açores

Descrição

A carne dos Açores - proveniente de animais da espécie bovina nascidos, criados e abatidos na RAA, segundo os moldes tradicionais - apresenta-se tenra, com cor variável sendo rosada na carne de vitelo (a), vermelha a vermelha escura no novilho (a) e vermelha escura, na carne de vaca, com ligeira infiltração de gordura a nível intramuscular. Dependendo do sexo e idade ao abate, a carne dos Açores distingue-se em 3 tipos: Vitelo (a) - Carne obtida de vitelos (as) cujas carcaças pesem até 180 kgs e cujo abate ocorra entre os 5 e os 9 meses; Novilho (a) – Carne obtida de novilhos cujas carcaças pesem mais de 180 kgs e cujo abate ocorra até aos 24 meses de idade, ou de novilhas cujas carcaças pesem mais de 175 kgs e cujo abate ocorra até aos 30 meses de idade ou até a primeira parição; Vaca - carne obtida a partir de bovinos cujas carcaças pesem mais de 200 kgs e cujo abate ocorra a partir da parição.

Particularidades

Carne com grande suculência, textura macia e aroma e sabor característico, próprio e inerente ao modo de produção tradicional, nomeadamente à forma de pastoreio e ao tipo de alimentação

História

Os Açores possuem um sistema de produção natural, que possibilita a manutenção de uma relação equilibrada entre a produção animal e as condições ecológicas das diferentes ilhas. Os animais são, tal como “manda” a tradição, criados nas pastagens açoreanas, sendo que as condições pascícolas da região estão intima e directamente relacionadas com a conjugação do binómio vegetação/clima. De facto, é enorme a importância que as pastagens açoreanas ocupam na agricultura do arquipélago, quer pela sua extensão, quer pela sua fertilidade, quer pelo facto de serem determinantes na elevada população pecuária existente. Desde o século XVI que os historiadores e cronistas se referem às qualidades da carne produzida nos Açores que nada tem a ver com uma raça determinada mas sim com o sistema de produção usado.

Saber fazer

O Saber fazer manifesta-se na preocupação, por parte dos produtores, em manter o conjunto das tradições ancestrais e sui-generis da exploração pecuária característica dos Açores conseguindo, assim, obter um produto de qualdade diferenciada e reputada. As caraterísticas da carne dos Açores estão, pois,  intimamente ligadas, por um lado, às condições edafo-climáticas dos Açores, propícias à criação de gado em pastagens naturais e, por outro, aos métodos ancestrais de alimentação e condução do gado seguido pelas populações da região.

Forma de utilização / Conselhos de uso

Apesar de ser consumida ao longo do ano, a Carne dos Açores tem um papel fundamental no decurso das festividades religiosas do Espírito Santo, do Senhor Santo Cristo dos Milagres bem como pela Páscoa e no Natal. Serve de base aos famosos “Cozido das Furnas”, "Alcatra da Terceira", "Sopas do Espírito Santo", “Molha do Pico”, "Caçoula", etc.

Consistência

FIRME

Suculência Interior

MUITO SUCULENTO

Textura Interior

MACIA

Apresentação Comercial

A carne dos Açores pode apresentar-se em carcaças inteiras, meias carcaças, peças ou embalada em peças inteiras ou fatiadas; A carne proveniente de animais cujas carcaças atinjam o estado de gordura igual ou superior a 4 só pode apresentar- se comercialmente embalada em "Couvettes" ou em vácuo.

Disponibilidade ao longo do ano

Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Bibliografia/Fonte

Caderno de Especificações "Carne dos Açores"; Ficha descritiva "Carne dos Açores"

© Copyright 2017 ptpt.pt
Developed by Impactwave